Topo

Esconder investimentos do parceiro é traição?

Lia Bock

01/08/2019 04h17

(iStock)

Vira e mexe aparecem pesquisas que se debruçam sobre um estranho hábito dos casais: esconder investimentos e mentir sobre gastos e ganhos. Pode parecer estranho pra quem divide as contas de forma transparente, mas se você sair perguntando para as pessoas de seu círculo, vai ver que acontece com mais frequência do que reza o bom senso marital.

Algo que beira a máxima "pequenas mentiras, grandes negócios". Mas será que esse tipo de mentira é tão pequena assim? 

Veja também:

Esconder um investimento no qual você coloca dinheiro com frequência é considerado uma enorme traição. Casais estáveis podem ser pegos no contragolpe e ver a relação descer ladeira abaixo por causa de uma conta secreta. Porque nenhuma justificativa parece sensata ao olhar daquele que estava sendo privado da informação.

Afinal, o que quer uma pessoa que esconde dinheiro? Difícil não achar que ela planeja o fim da relação. Difícil não achar que não confia no parceiro. E em alguns casos, dependendo de como a coisa acontece, fica até parecendo roubo mesmo. Veja, se todo o dinheiro do casal é compartilhado e de repente aparece uma conta secreta no nome de apenas um dos dois, configura caixa dois, não configura?

Sei que tem gente que prega a individualidade acima de tudo (mesmo na vida a dois). Mas nestes casos é preciso que as regras estejam claras para ambas as partes. Se cada um tem sua própria poupança e administra o quanto gasta e o quanto guarda, não tem problema nenhum. Mas, a partir do momento em que o casal resolve misturar as finanças, a manutenção de uma conta individual e sem que o outro tenha conhecimento é uma baita sacanagem. 

Lembremos aqui que trair não é só pular a cerca. Trair é tudo que aquilo que foge aos combinados feitos previamente e isso vale tanto para sexo, como para finanças. 

E por que as pessoas escondem esse tipo de coisa? As justificativas são variadas. Vão de medo de que o outro gaste todo o dinheiro do casal até a necessidade de se sentir financeiramente seguro em caso de separação. E tem gente que nem sabe direito porque esconde e finge que na verdade, só está omitindo uma informação pouco relevante. 

Mas não se engane. Esconder dinheiro é considerado uma falta grave dentro dos casamentos. Pior até do que esconder gastos. Sim, porque tá cheio de gente que mantém a fatura do cartão de crédito bem longe do cônjuge. Tem gente que gasta demais em joguinhos na internet, tem gente que gasta mais do que considera aceitável em pornografia, cerveja ou roupa. E, num misto de vergonha e necessidade de evitar uma briga, omite ou distorce valores. Isso pode causar um arranca rabo, mas nada se compara a descobrir um investimento secreto. Quem esconde dívida ou gasto parece aos olhos do outro uma pessoa que precisa de ajuda, mas quem esconde dinheiro, não. Este entra rapidamente na vala dos desleais.

Não é simples explicar o porquê dessa diferença, mas dá pra arriscar que esconder uma coisa ruim (excesso de gasto) pode até ser visto como proteger o outro e esconder coisa boa (um investimento) é puramente enganação. Não conheço nenhum caso em que a pessoa descobriu a conta secreta do outro e se sentiu feliz pelo casal ter mais dinheiro do que pensava. 

É por isso que eu digo: deixe as regras sempre muito claras, para que fiquei translúcido o que é individualidade e o que é enganação. 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

A jornalista Lia Bock começou a blogar em 2008, no site da revista TPM, onde foi também redatora-chefe. Passou por publicações como Isto É, Veja SP e TRIP e foi colunista de sexo da GQ. Hoje, é editora da plataforma Hysteria e produtora de conteúdo freelancer. É autora de "Manual do Mimimi: do casinho ao casamento (ou vice-versa)” e do "Meu primeiro livro". É mãe de quatro e sócia do ex marido no canal Ex-casados.

Sobre o blog

Um espaço para pensatas e divagações sobre sexo, filhos, coração partido, afetações apaixonadas e o espaço da mulher no mundo.

Blog da Lia Bock