menu
Topo
Lia Bock

Lia Bock

Categorias

Histórico

Brigadeiro só na hora do parabéns? POR QUÊ?

Lia Bock

28/11/2018 04h00

(iStock)

A regra número 1 das festinhas infantis costuma ser: não pode pegar brigadeiros e outros doces antes do parabéns. Aquela mesa linda, toda decorada com um tema infantil… Mas não pode pegar. Princesas, carros, super-heróis, fazendinha ou estrelinhas brilhantes chamam a atenção das crianças para o tudo que está em volta (incluindo brigadeiros e docinhos), mas… não pode pegar.

Alguns choram, esperneiam, os mais sapecas pegam escondido e todos criam uma expectativa enorme. Juro, não entendo essa regra.

Primeiro porque pra mim vale a máxima: se é um evento infantil e está ao alcance da mão das crianças é porque pode ser pego. Segundo porque deixar pra se entupir de brigadeiro no fim da festa é um contrassenso. O pico do açúcar bate quando já estamos em casa. Por que, meu deus?!

E tome brigar com quem pegou um docinho e saiu correndo. Tome correr atrás de crianças que ainda não entendem os "nãos" do mundo insistindo que não pode, não pode e não pode. E tome tentar botar as crianças pra dormir enquanto elas quicam no quarto.

Entendo que lidar com as proibições faz parte da vida, mas será que nas festas, com os brigadeiros e diante daquela mesa temática maravilhosa é a melhor hora pra isso? Sério, não entendo. Existem tantas outras possibilidades.

Quando alguém me pergunta se pode comer os docinhos antes do parabéns nas festas dos meus filhos costumo dizer: tá ao alcance da mão? Então pode! Tirando uma ou outra criança muito dependente de açúcar, a maioria come um ou dois e volta pra brincadeira. Mas como prevenção é possível fazer uma mesa com pouco (ou nenhum) doce e na hora do parabéns servir o resto. Ou servir pouco mesmo e acabou, acabou. Afinal, ainda teremos o bolo.

Outro ponto é: nos aniversários, as crianças costumam comer pouco e brincar muito. Se vetamos os doces ao longo da festa, na hora do parabéns eles estarão tão famintos que não vai ser estranho se comerem dez brigadeiros um atrás do outro. Fome misturada com ansiedade costuma dar nisso.

É preciso lembrar que tudo que gera expectativa deixa as crianças ansiosas e traz um resultado intenso no final. Muito melhor é deixar comer um ou dois brigadeiros ao longo da festa e não criar aquela ânsia pela "hora tão esperada". Até porque fazer do doce a "hora tão esperada" não é um bom hábito a se criar. A obesidade infantil é um problema real e toda expectativa em torno de comida e doce pode cobrar a conta ali na frente.

O que estou querendo dizer é que se o objetivo é que nossas crianças comam menos brigadeiro é melhor pensarmos em táticas realmente efetivas. Colocar uma mesa linda e cheia de doces na frente deles e dizer que não pode pegar, não me parece uma boa opção.00

Sobre a autora

A jornalista Lia Bock começou a blogar em 2008, no site da revista TPM, onde foi também redatora-chefe. Passou por publicações como Isto É, Veja SP e TRIP e foi colunista de sexo da GQ. Hoje, é editora da plataforma Hysteria e produtora de conteúdo freelancer. É autora de "Manual do Mimimi: do casinho ao casamento (ou vice-versa)” e do "Meu primeiro livro". É mãe de quatro e sócia do ex marido no canal Ex-casados.

Sobre o blog

Um espaço para pensatas e divagações sobre sexo, filhos, coração partido, afetações apaixonadas e o espaço da mulher no mundo.