Lia Bock

Categorias

Histórico

Você sabe o que é MILF? Então, mudou, não é mais!

Lia Bock

05/08/2017 04h00

Kim Kardashian em cena do clipe “MILF”, da cantora Fergie. (Foto: Divulgação)

 

Quem já se aventurou pelo universo dos filmes pornô, mesmo que rapidamente, conhece a categoria MILF: Mothers I’d like to Fuck, (num português à altura: mães que eu gostaria de foder). Eu até que simpatizo com a expressão que, de uma forma meio torta, vá lá, valoriza a mulher madura.

Mas essa semana uma amiga postou uma nova versão para a sigla e aí, sim, eu morri de amores: Mothers I’d Like to Flirt, mães com quem eu gostaria de flertar. <3

Parece só uma brincadeira engraçadinha, mas é na verdade uma forma explícita de dizer que não somos uma categoria do pornô. Da mesma forma que não somos um bando de desesperadas atrás de um pai para nossos filhos. Aliás, quem pensa que a mina entra no Tinder pra arrumar um pai para as suas criança, precisa ajustar as coordenadas rápido! É alguém que está, com certeza, no século errado!

Muitas das MILFs que estão paquerando por aí já têm um pai para os filhos e, pasmem, alguns até com guarda compartilhada. Outras não têm esse companheiro ponta firme pra chamar de ex, mas sofreram tanto na mão de machos desnorteados, que não querem nem pensar na possibilidade de botar outro cara dentro de casa. Há também aquelas que têm lá um boy que vem de vez em quando e leva as crianças para algum passeio, mas os pequenos são tão apaixonados pelo traste, que seria a morte chegar com um gato novo e dizer: “olha, arrumei outro pai!”.

Aliás, fico pensando como seria este mundo onde nós, MILFs, temos como objetivo na vida arrumar um sujeito pra chamar de marido. “Olha esse gato aqui do app, tem uma cara de bom pai!” ou “Ai amiga, tô louca pelo fulano. Ele parece ser daqueles que dá até banho no bebê!”. Ou então: “Saí com um cara novo, foi ótimo, certeza que esse vai pôr dinheiro em casa!”. Se fosse assim, não tinha tanta criança sem pai por aí, não é mesmo?

Piadinhas à parte, o que eu quero dizer aqui é que essa vaga da qual alguns têm tanto pavor, não é assim, pra qualquer um. Vaga de pai é coisa séria e, anotem, meus caros: MILF nenhuma está disposta a fazer concessão quando estamos falando da sua casa, da sua prole e da sua liberdade conquistada a duras penas. Não se esqueçam que estamos no Brasil, um país onde a maioria dos maridos (pais ou não) não tira seu prato da mesa.

Então, não me venha com medinho ou fantasias regadas a pornô tosco. É claro que é diferente namorar uma mulher com filhos. Existe uma dinâmica que precisa ser contemplada, existe uma criança que muitas vezes estará junto e… isso pode ser maravilhoso!

Criança é vida, criança é amor. Agora, se você não gosta de crianças, tenha certeza que será colocado numa categoria masculina de MILFs: Men I’d Leave Far (homens que eu gostaria de deixar longe).

Sobre a autora

A jornalista Lia Bock começou a publicar os textos sobre relacionamento que escrevia desde a adolescência em 2008, no site da revista TPM, onde se tornou redatora-chefe. Passou por publicações como Isto É, Veja SP e TRIP e foi colunista de sexo da GQ. É autora do livro "Manual do Mimimi: do casinho ao casamento (ou vice-versa)". Já morou em Pirenópolis e em Londres. Nasceu em 1978 e é mãe de dois meninos.

Sobre o blog

Um espaço para pensatas e divagações sobre sexo, filhos, coração partido, afetações apaixonadas e o espaço da mulher no mundo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Topo