Lia Bock

Categorias

Histórico

Já ouviu falar dos "casadores seriais"?

Lia Bock

16/06/2017 04h00

Foto: Getty Images

Do mesmo jeito que há no mundo aquelas pessoas que vivem anos passando de uma relação para outra sem se aprofundar demais em nenhuma delas, existem aqueles que só sabem namorar. Gente que sai uma vez com a pessoa e já anda de mãos dadas, beija em público, apresenta aos filhos, faz xixi de porta aberta e todas aquelas outras coisas que, segundo as regras do bom senso, deveriam acontecer de forma gradual, com o tempo e a intimidade que se cria numa relação.

Não. Essas pessoas com magnetismo pelo acasalamento despejam o pacote inteiro de uma vez sem pensar muito se aquilo é uma paixão de inverno ou um amorzinho profundo.

As pessoas até tentam não dar nome para a relação e manter ativo o perfil do aplicativo de paquera. Mas quando reparam, já estão lá sentadas na mesa com o sogro no domingo e chamando o outro de mozão enquanto os charmes se engavetam no app.

Tem gente que fica casado anos e, ao separar, jura de pé junto que nunca mais vai “cometer esse erro”. Mas quando vê, ops: está fazendo uma reforma pra casa comportar mais um.

Não é que as pessoas gostem de se enganar, é apenas que elas não sabem viver de outro jeito. Passou a vida nessa dinâmica e não consegue ver outro caminho a seguir.

É a mesmíssima coisa de quem se habituou a morar sozinho e deixar a forminha de gelo vazia porque nunca houve um outro pra reclamar. Acostuma. Pois é, mandar mensagens o dia todo e dividir o banheiro também.

Daí você tá lá com um ser humano que aterrissou na sua vida semana passada e quando vê: tá dormindo de conchinha e mandando fotos dos gatos. E pra explicar que isso não é um pedido de casamento?

O que pra uns pode soar um alívio, mas pra outros pode ser a mais crua decepção. Geralmente os “casadores seriais” se atraem, mas quando um da dupla não tá acostumado com essa dinâmica que chamo carinhosamente de almôndega, a coisa pode ficar estranha.

E não é fácil dizer: “não é que eu queira namorar você, não, viu?! eu sou assim com todo mundo!“. Complicado.

Sobre a autora

A jornalista Lia Bock começou a publicar os textos sobre relacionamento que escrevia desde a adolescência em 2008, no site da revista TPM, onde se tornou redatora-chefe. Passou por publicações como Isto É, Veja SP e TRIP e foi colunista de sexo da GQ. É autora do livro "Manual do Mimimi: do casinho ao casamento (ou vice-versa)". Já morou em Pirenópolis e em Londres. Nasceu em 1978 e é mãe de dois meninos.

Sobre o blog

Um espaço para pensatas e divagações sobre sexo, filhos, coração partido, afetações apaixonadas e o espaço da mulher no mundo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Topo