menu
Topo
Lia Bock

Lia Bock

Categorias

Histórico

Papai fez a mala da criança. E isso é bom!

Lia Bock

11/07/2018 04h00

(iStock)

Aproveitando esse clima maravilhoso de férias escolares e crianças indo e vindo, faço a pergunta que não quer calar: os pais nunca fazem a mala das crianças porque não sabem ou não sabem porque nunca fazem? (Se a sua família não tem essa questão e a mala do papai é sempre boa, sinta-se privilegiada).

Há muita mulher por aí que diz que não deixa o boy preparar a bagagem da prole porque "sempre falta alguma coisa". Mas será que a lógica é essa?

Não esquecer o casaco de chuva, o maiô, cuecas e calcinhas, ou aquela roupa mais bonitinha para a festa que vai ter, só é possível quando estamos habituados com a produção da mala dos filhos. Nós não fazemos todos as nossas próprias malas? (bom, assim esperamos, né?). E como aprendemos a não esquecer alguns itens? Justamente esquecendo algumas vezes.

Se os caras não fizerem a mala uma, duas, dez vezes, não vai ter como aprender que é preciso pegar meia e chinelo de dedo (fralda, pomada de assadura, o paninho que a criatura usa pra dormir etc). É preciso treino. É preciso esquecer, para da próxima vez, lembrar.

Se o sujeito não tem bom senso ou não conhece nenhum aplicativo meteorológico, talvez seja o caso de bater um papo reto. Nem sempre a criança nasce com o termostato do pai, é preciso altruísmo, pensar no outro pelo ponto de vista dele. Principalmente se estamos falando de um ser que tem muitos anos (e pelos) a menos e vive rastejando pelo chão. Mas, mesmo bom senso, a gente adquire errando, observando.

Fazer a mala deve ser um ato familiar. Todos precisam estar aptos para essa missão e pra isso (não tem jeito) é necessário que junto com o nascimento de um pai, nasça também o hábito de fazer a mala.

Agora, se a queixa é "ele pega roupas que não combinam" ou ainda "ele só leva as mais feias", sinto dizer, o problema é com você. Gosto é uma coisa pessoal e é preciso estar aberta ao que outro pode, consegue e quer fazer. Fora isso, criança muito engomadinha atrai olho gordo. E quanto mais a gente se apega em produzir o filho quando pequeno, mais ele vai se vingar de nós andando todo troncho quando começar a escolher as próprias roupas. Porque acredite, se você acha que pai tem um gosto estranho, você não viu uma criança de 6 anos ou uma adolescente de 15.

 

Sobre a autora

A jornalista Lia Bock começou a blogar em 2008, no site da revista TPM, onde foi também redatora-chefe. Passou por publicações como Isto É, Veja SP e TRIP e foi colunista de sexo da GQ. Hoje, é editora da plataforma Hysteria e produtora de conteúdo freelancer. É autora de "Manual do Mimimi: do casinho ao casamento (ou vice-versa)” e do "Meu primeiro livro". É mãe de quatro e sócia do ex marido no canal Ex-casados.

Sobre o blog

Um espaço para pensatas e divagações sobre sexo, filhos, coração partido, afetações apaixonadas e o espaço da mulher no mundo.