Lia Bock

Categorias

Histórico

Papai fez a mala da criança. E isso é bom!

Lia Bock

11/07/2018 04h00

(iStock)

Aproveitando esse clima maravilhoso de férias escolares e crianças indo e vindo, faço a pergunta que não quer calar: os pais nunca fazem a mala das crianças porque não sabem ou não sabem porque nunca fazem? (Se a sua família não tem essa questão e a mala do papai é sempre boa, sinta-se privilegiada).

Há muita mulher por aí que diz que não deixa o boy preparar a bagagem da prole porque “sempre falta alguma coisa”. Mas será que a lógica é essa?

Não esquecer o casaco de chuva, o maiô, cuecas e calcinhas, ou aquela roupa mais bonitinha para a festa que vai ter, só é possível quando estamos habituados com a produção da mala dos filhos. Nós não fazemos todos as nossas próprias malas? (bom, assim esperamos, né?). E como aprendemos a não esquecer alguns itens? Justamente esquecendo algumas vezes.

Se os caras não fizerem a mala uma, duas, dez vezes, não vai ter como aprender que é preciso pegar meia e chinelo de dedo (fralda, pomada de assadura, o paninho que a criatura usa pra dormir etc). É preciso treino. É preciso esquecer, para da próxima vez, lembrar.

Se o sujeito não tem bom senso ou não conhece nenhum aplicativo meteorológico, talvez seja o caso de bater um papo reto. Nem sempre a criança nasce com o termostato do pai, é preciso altruísmo, pensar no outro pelo ponto de vista dele. Principalmente se estamos falando de um ser que tem muitos anos (e pelos) a menos e vive rastejando pelo chão. Mas, mesmo bom senso, a gente adquire errando, observando.

Fazer a mala deve ser um ato familiar. Todos precisam estar aptos para essa missão e pra isso (não tem jeito) é necessário que junto com o nascimento de um pai, nasça também o hábito de fazer a mala.

Agora, se a queixa é “ele pega roupas que não combinam” ou ainda “ele só leva as mais feias”, sinto dizer, o problema é com você. Gosto é uma coisa pessoal e é preciso estar aberta ao que outro pode, consegue e quer fazer. Fora isso, criança muito engomadinha atrai olho gordo. E quanto mais a gente se apega em produzir o filho quando pequeno, mais ele vai se vingar de nós andando todo troncho quando começar a escolher as próprias roupas. Porque acredite, se você acha que pai tem um gosto estranho, você não viu uma criança de 6 anos ou uma adolescente de 15.

 

Sobre a autora

A jornalista Lia Bock começou a publicar os textos sobre relacionamento que escrevia desde a adolescência em 2008, no site da revista TPM, onde se tornou redatora-chefe. Passou por publicações como Isto É, Veja SP e TRIP e foi colunista de sexo da GQ. É autora do livro "Manual do Mimimi: do casinho ao casamento (ou vice-versa)". Já morou em Pirenópolis e em Londres. Nasceu em 1978 e é mãe de dois meninos.

Sobre o blog

Um espaço para pensatas e divagações sobre sexo, filhos, coração partido, afetações apaixonadas e o espaço da mulher no mundo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Blog Lia Bock
Topo